Top 10 momentos em que eu notei que eu te amo nos últimos 2 meses.

  • Quando você estava doente, com febre alta, na véspera da viagem, e eu notei que realmente preferia estar doente no seu lugar. Tipo, mas não da boca para fora, e não apenas em um gesto de altruísmo por não querer te ver fraquinho e doentinho. Eu só tinha em mente que você era a pessoa que eu mais queria ver animada correndo de um lado pro outro na Europa, independente de eu estar com febre de 39º, eu só queria que você pudesse se divertir cheio de energia e me levar com você. Eu queria você pulando de um lado pro outro, comendo tudo que pudesse ver e me puxando pelo braço para ver tudo e todos. Os raios de sol, os raios de alegria e animação combinam contigo, sabe?
  • Quando a gente estava no meio da rua em Amsterdã, ouvindo aquele cara tocar e você queria tirar fotos minhas lá. Meu Deus, se eu fechar os olhos consigo sentir aquele ar frio entrando pelo meu nariz e um sorriso escapa pelos meus lábios. A certeza de que nós éramos invencíveis, intocáveis, insuperáveis, aquilo dali quase que foi demais pro meu coraçãozinho. Sorte a minha que já estava acostumada a te amar e sentir meu corpo se arrepiar/levar choques só de te ver sorrir.
  • Quando você estava me mostrando o Jordaan, todo feliz e a única coisa que eu conseguia fazer era ficar tão animada quanto você, curtindo cada centímetro daquele bairro maravilhoso. É tão bom viver esses momentos raros(que em Amsterdã não foram tão raros) de me sentir livre, leve e solta. Ali eu me senti livre, leve e solta do seu lado, sabe? Feito dois passarinhos, voando, em plena tarde. Ahh!! Naquele dia você ganhou uma toquinha, que na real era minha, mas tudo bem, ficou muito melhor em você.
  • Quando você esquentou aquela pizza com o secador de cabelo. Meu Deus, eu fiquei muito apaixonada por você naquele momento e acho que vou contar até pros meus bisnetos. Era a coisa que eu esperava vir de você, sabe? Acho que prefiro nem ter a ideia, metade das loucuras e bobeiras dessa relação precisam vir de você, assim eu posso morrer de amores e me derreter de novo, e de novo, e de novo.
  • Quando a gente foi na Torre Eiffel a noite e eu chorei de emoção pela imagem da cidade das luzes na minha frente. Acho que naquele momento eu vi Paris com os seus olhos apaixonados e te amei ainda mais porque você queria estar ali comigo, logo comigo. Eu, toda errada, podendo dividir aquela cena – uma das mais maravilhosas do mundo – contigo. Foi um sonho se tornando realidade. Eu vendo Paris pelos seus olhos, só que com você do meu lado, e realmente sentir o que você sente o tempo todo por lá. Foi especial pra mim. Eu precisava viver aquilo, e você sabia. Te amo por isso.
  • Quando a gente bebeu cerveja com limão, e eu tava morrendo morrendo morrrreeeeennnndoooo de cansaço, e você tava todo feliz tentando me animar. Eu amei aqueles artistas, amor. Voltaremos lá em breve, ok? Eu juro que aquela praça ficou na minha cabeça, aquelas pessoas todas reunidas fazendo arte e comprando arte, no meio de Paris. Aliás, num lugar bem altinho por sinal… Mas encantador. As mesas viradas pra praça… A conta assim que pedimos a cerveja… Seus olhos aproveitando aquele lugar e apreciando, como só você consegue apreciar. Eu te amo por isso.
  • Quando a gente estava em Colônia e colocamos o cadeado nos trilhos. Eu soube que te amava porque jamais faria isso com qualquer pessoa. Jamais jamais jamais colocaria um cadeado representando o meu amor com outra pessoa se não realmente a amasse. Eu te amo por ter tido aquela ideia. E também porque aguentou pedalar pra cacete aquele dia!!!! Eu lembro que te olhava mais atrás e meu coração transbordava com o sentimento de que sei lá, você era uma das minhas pessoas preferidas no mundo.
  • Quando a gente estava voltando pra casa e eu comecei a ser doida no avião, nervosa e agoniada, e você escreveu aquele textinho pra mim enquanto eu estava dormindo, todo cheio de doçura e amor. Mesmo que minhas doideiras com gravidez fossem te dar no saco depois, você aguentou firme o quanto conseguiu e foi muito importante pra mim você ter se preocupado em me dar um feedback do que você sentiu durante a viagem. Digo, a gente se conhece tanto, sabe? Mas você sempre me surpreende quanto eu noto que realmente me conhece. Aquele textinho, aquele raio-x luiz eduardo, foi especial. Senti meu coração derreter antes mesmo de ler, e eu demorei mesmo pra ler, viu? Queria escrever primeiro pra não copiar nada seu. Sou teimosa.
  • Quando a gente estava na cervejaria em Brugges e você não parava de sorrir e apreciar cada segundo, cada ml de cerveja que a gente provava. Você lendo os rótulos?????? Eu só conseguia pensar: cara, eu preciso casar com ele. Eu preciso dele pra sempre. Eu preciso dessa energia, dessa empolgação, desse jeitinho tão autêntico, pra sempre.
  • E hoje, quando você me olhou com aqueles olhos de Shrek, pedindo massagem. Ali eu tive certeza que te amava de novo. Foi assim: em um momento, estava no seu quarto, te encarando. No momento seguinte, eu estava num lugar escuro, sentindo um pulsar estranho, um ritmo constante. Era quente, mas confortável, como se eu estivesse finalmente longe de uma nevasca que era meu pesadelo nos últimos dias. Olhar nos seus olhos foi me teletransportar pra dentro do seu coração e ter certeza de que eu não queria sair dali nunca mais. O ritmo são as suas batidas, o escuro é sinônimo de conforto, como se finalmente eu já não estivesse no meio da neve, no meio do frio. E mesmo com tanta escuridão, eu podia me sentir em casa, saber onde estava e como me movimentar. Em um segundo, olhando nos seus olhos, eu me senti confortável, feliz, saudável e segura. Já não estava mais congelando sem conseguir enxergar. Estava descansando os olhos, os pulmões, o próprio coração, dentro do seu.

E eu sei que não sou expert nisso. Em saber exatamente onde mexer dentro do seu coração, ou o que fazer quando encontro algo que parece fora do lugar. As vezes sou mais estrangeira do que de casa, sabe? Afinal, foram 19 anos longe, 2 anos perto. Mas juro, a sensação é de que estou no melhor lugar do mundo, no lugar certo pra mim, no único lugar em que o meu amor faz sentido e ganha ritmo, ganha vida. Por mais que eu tenha que tatear para achar algumas coisinhas, te consultar para saber se é mesmo pra algumas coisas ficarem do jeito que estão, levar uns esporros quando estiver muito mandona, tudo que eu quero é ser bem vinda e uma hóspede pelo maior tempo possível. Su casa, Mi casa? Eu espero que sim. Porque eu te amo. Muito.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s